domingo, 6 de agosto de 2017

Mário Fernandes (1917 - 2017)


Fiz um pequeno caderno com a intervenção de homenagem a Mário Fernandes, de Orlando Laranjeiro, e também com um poema que escrevi, na passagem do centenário do seu nascimento.

Mário Fernandes foi uma grande figura do associativismo e da cultura almadense.


Apanágio de um Bom Presságio

Eu não sou saudosista
mas gosto de viajar no tempo
ver a minha vida passada em revista
e parar num ou outro momento

Encontro amigos que já partiram
revivo tantos acontecimentos especiais
que todos os da minha geração sentiram
mesmo que na época, fossem coisas normais

Era um tempo muito diferente
as colectividades eram escolas
Os dirigentes mestres e professores
e até a liberdade, imaginem só, estava presente…

Existiam homens de acção e da palavra
que inspiravam quem os via e ouvia
e que gravavam uma ou outra, rara
para as repetirem em dias de euforia

Mário Fernandes era um desses homens
é por isso que o homenageamos
por tudo o que nos deu
Até vos dou um exemplo:
foi Mário Fernandes que ofereceu o “apanágio”
ao Orlando, que nunca mais o esqueceu
E hoje, num bom presságio
recordamos aqui muito do que ele viveu.

Luís [Alves] Milheiro)

(Escrito para ser declamado por Francisco Gonçalves, a pensar na sua generosa geração, que conheceu Mário Fernandes…)

sexta-feira, 31 de março de 2017

O "romeo"


Além de ter criado um blogue de homenagem a Romeu Correia, o Grande Escritor de Almada, no ano do centenário do seu nascimento, também publiquei um fanzine (já saiu o número um), "romeo", onde procuro publicar textos e poemas inéditos sobre esta grande figura da literatura local.

Publiquei um texto e um poema da minha autoria. E contei com as preciosas colaborações de Clara Mestre, Edite S. Conceixa, Elisa Araújo, Fernando Barão, José do Carmo Francisco e Orlando Laranjeiro.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

A Semana do Amor em Almada (2)


E agora vou publicar as quatro quadras que publiquei no caderno, "Corações Cheios de Poesia (quadras de amor dos poetas da scala)", que são sobretudo um jogo de palavras rimadas:


Por onde Ela passa
Irradia alegria e paixão
E o seu sorriso cheio de graça
Faz bater o nosso coração

Eu finjo que um dia
Ainda vou te amar
Por sentir amor e alegria
Quando fixo o teu olhar

A rosa é a nossa flor
Cheira, floresce e brilha
Como este nosso amor
Que é a quinta maravilha

Amor estou à espera
Debaixo da tua janela.
Mas quem espera desespera
Mesmo que sejas a Cinderela


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

A Semana do Amor em Almada (1)


O Museu da Cidade de Almada está a organizar entre os dias 13 e 19 de Fevereiro, a "Semana do Amor", com a colaboração do movimento associativo local.

A SCALA participa na iniciativa e eu organizei dois pequenos cadernos, um com poemas de amor e outro com quadras de amor.

Têm ambos o mesmo título, "Corações Cheios de Poesia".

Este foi o poema que escrevi para o primeiro caderno:

Aquele Amanhecer Único

Olhei-te e recordei
aquele amanhecer único...

Não pregámos olho nessa noite,
andámos de festa em festa,
até os bares fecharem.
Os amigos também foram voando,
quando olhámos um para o outro,
restávamos apenas os dois...

Não sei se bebemos mais que a conta...
muito menos qual era a nossa conta.
Sei apenas que deixámos o carro em qualquer lugar
e fomos esperar a madrugada
à beira da Lagoa...

As coisas que fizemos,
enquanto o dia não clareou...

Depois olhámos abraçados,
aquele amanhecer único...