segunda-feira, 13 de junho de 2011

Pessoa


Tantos retratos inacabados
Nas profundezas de um copo vazio
Na procura incessante um rosto certo,
Tanto podias ser Alberto,
Bernardo, Ricardo, Álvaro
Ou outro sujeito qualquer
Nunca Fernando!
Porquê, Pessoa?


(poema da minha autoria publicado no nº 30 da série de cadernos de poemas, "Index Poesis, Uma Dúzia de Poemas")


O óleo é de Luiza Caetano.

5 comentários:

allmylife disse...

GRANDE FERNANDO PESSOA!! Tantos em um só!! Boa semana!!

Graça Pires disse...

"Na procura incessante um rosto certo" É a busca do poema?
Um beijo, Luís

AnaMar (pseudónimo) disse...

Interessantemente... pessoano:-))

Maria disse...

Gostei... é interessante!

Beijinho.

Fernand's disse...

só ele... pessoa.


=)

bjsmeus