sábado, 21 de março de 2015

A SCALA na 5ª Festa da Poesia de Almada


O poema da minha autoria que faz parte do caderno, "A SCALA Festeja o Dia Mundial da Poesia na 5 ª Festa da Poesia de Almada" :

NOITE DE CINEMA

Durante anos fiz aquele caminho solitário,
raramente me cruzava com quem quer que fosse.
Como gostava de andar dentro da noite,
percorria caminhos secretos
dizia olá aos candeeiros
e sonhava de olhos abertos.

Por falar em sonhos, lembro-me,
que queria muito fazer um filme nocturno...
com uma mulher como tu
e também com bandidos,
mas daqueles que apenas
usam armas de plástico, quase fingidos.

Às vezes penso em ti,
talvez por não saber em que Cidade habitas,
que ruas percorres, em que língua sonhas.
Uma vez imaginei-te em Ipanema
a caminhar solta pelas ruas
atrás da noite e do cinema.

Luís Milheiro

2 comentários:

Nidja Andrade disse...

Que lindo amigo!! realmente a vida é como cinema cheia de emoções como: alegrias, tragédias, amores, lágrimas, gargalhadas e agente vai sobrevivendo com ou sem arranhões....
AbraçO

Nidja Andrade disse...

venho sempre aqui no seu cantinho e adoro tudo que vejo aqui, por isso estou te seguindo. Se puder visite os meus espaços também....