sábado, 25 de abril de 2015

Abril Sonhos Mil


Um poema de Abril do caderno de poemas, "Abril Sonhos Mil", que publiquei em 2005. 

Abril Depois de Abril

Abril é um poema sem idade
Que invade o sonho dos poetas
E lhes lembra a Praça da Liberdade
Que encontraram de portas abertas

E percorreram de mãos dadas
No meio da multidão
Abraçaram as Forças Armadas
Deram vivas à Revolução

Saudaram os capitães-coragem
Erguendo um cravo encarnado
E gritaram de punho fechado
Já chega de malandragem!

Luís Milheiro 

2 comentários:

Nidja Andrade disse...

Abril tudo pode acontecer;
Seu poema muito muito libertador!...
Já te sigo... me segues?
AbraçO

Vieira Calado disse...

E ouviu o que disse o soba, agora no 10 de Junho?
Ante as dificuldades, temos que levantar a cabeça e seguir em frente, mais ou menos isto. Eu, ingenuamente, pensei que aquela tirada tão sábia, vinha dum jogador de bola, depois de ter perdido um jogo!...

Um forte abraço!